Escolha uma Página

Destacar-se em um segmento tão competitivo quanto o de advocacia é um desafio cada vez mais complexo. Por isso, o marketing jurídico tem um papel importante no desenvolvimento de uma identidade de valor de mercado para o negócio, sendo de extrema relevância para atração e fidelização de clientes. 

As estratégias de divulgação no âmbito jurídico se deparam com uma problemática: o Código de Ética e Disciplina da OAB. O documento traz diretrizes que limitam a publicidade de serviços de advocacia, no sentido de manter a sobriedade e profissionalismo que a função exige. 

Mas afinal, como fazer um marketing jurídico sem violar as regras impostas pela OAB? Por mais desafiador que pareça, é possível sim fazer uma divulgação de qualidade, que respeite as exigências da categoria e melhore a competitividade de seu escritório. Descubra como no texto a seguir. 

O que é marketing jurídico? 

Marketing diz respeito ao uso de estratégias com intuito de divulgar uma marca, ou seja, é feita uma comunicação com o público, objetivando o aumento de valor da empresa. Portanto, o marketing jurídico acontece quando faz-se a divulgação das marcas no ambiente do Direito. 

O desenvolvimento de estratégias de marketing é fundamental para negócios que almejam aumentar sua percepção de mercado e, com isso, atrair novos clientes e fidelizar os já existentes. 

O marketing pode acontecer de dois modos distintos: online e offline. 

Marketing offline 

O marketing offline é a divulgação da marca feita fora do ambiente da internet. Aqui, estão inclusos estratégias como panfletos, outdoors, entre outros. 

Contudo, por conta das restrições impostas pela OAB, não é permitido que o marketing jurídico offline realize as seguintes ações: 

Mesmo com as restrições acima citadas, ainda é possível desenvolver boas estratégias de marketing, desde que respeitada a discrição e sobriedade exigidas pela OAB. 

  • Veiculação de anúncios do escritório de advocacia em televisão e rádio;
  • Fazer ofertas de serviços de forma direta;
  • Fazer inscrições em muros, paredes, veículos, elevadores ou em qualquer espaço público;
  • Fornecimento de dados de contato, como endereço e telefone, em colunas ou artigos literários, culturais, acadêmicos ou jurídicos, publicados na imprensa;
  • Não é permitido estampar nome profissional em objetos estranhos à Advocacia, como chaveiros e calendários;
  • Utilização de mala direta, a distribuição de panfletos ou formas assemelhadas de publicidade, com o intuito de captação de clientela.

Uma solução interessante neste sentido é contar com o suporte de uma assessoria de imprensa. O profissional (ou equipe) fica responsável por melhorar a percepção do público a respeito de seu escritório. 

Além disso, a assessoria realiza um trabalho de buscar espaços na mídia sem que seja necessário pagar por isso. Ou seja, a mesma é responsável por gerar pautas relevantes, com valor-notícia, que tenham sua marca/representantes como fonte técnica. Lembrando que essa notícia deve ter o objetivo único de informar sobre determinado assunto, nunca de divulgar diretamente os serviços da empresa. 

Marketing jurídico digital 

O marketing digital é, atualmente, a estratégia de divulgação de maior alcance e melhores resultados. Afinal, as redes sociais e a internet como um todo, representam uma grande parte da rotina da maioria das pessoas, logo, cabe aos negócios aproveitarem esse canal para aumentarem sua notoriedade. 

Além disso, há de se destacar o fato de que a internet é hoje o canal que as pessoas mais recorrem para buscar informações. As dúvidas relacionadas ao Direito são algumas das mais comuns, portanto, há uma demanda que pode e deve ser sanada por empresas que são autoridade no assunto. 

Não há restrições do Código de Ética da OAB quanto ao uso de estratégias de marketing digital, desde que estas não impliquem o oferecimento de serviços ou representem forma de captação de clientela. Neste sentido, o documento limita as seguintes ações: 

  • Uso de ferramentas como o telemarketing para realizar a captação de novos clientes;
  • Ofertas de serviços de forma direta;
  • Oferecer serviços via fax ou via email;
  • Utilização de “dizeres próprios de atividade comercial”, como “consulte-nos hoje mesmo!”;
  • Oferecer consultas grátis pelo site;
  • Usar fotos dos prédios de tribunais. 

Mas afinal, se o escritório jurídico não pode fazer ofertas de serviços, quais estratégias utilizar no digital? É o que indicaremos a seguir. 

Marketing de Conteúdo para escritórios jurídicos

Como já explicitado neste artigo, as informações divulgadas por escritórios jurídicos não devem promover a mercantilização da profissão, sendo desenvolvidas em caráter consultivo ou orientativo. Portanto, a solução mais eficiente para o segmento é a de Marketing de Conteúdo. 

A estratégia se fundamenta na criação de conteúdos relevantes para o seu público, com objetivo de atraí-los para seu site. Ou seja, sua empresa não vai precisar ir até aos clientes, são eles que virão até ela. 

Para que isso seja possível, seu negócio deve produzir artigos e informações que sejam úteis e respondam as dúvidas das pessoas. Dessa forma, sua marca se posiciona enquanto autoridade em seu segmento e, quando o indivíduo que leu seus artigos precisar de um serviço de advocacia, provavelmente vai se lembrar da sua empresa para ajudá-lo. 

Portanto, você não estará divulgando seus serviços de forma direta, o que é proibido pela OAB, mas criando conteúdos relacionados a eles. Isso cria uma relação de confiança com seu público-alvo, o que pode, a médio e longo prazo, levá-los a usufruir destes serviços. 

Dicas para colocar em prática

  • Produza conteúdos de qualidade e explicativos. Lembre-se de que você está falando, no geral, com um público leigo, portanto, é preciso que a linguagem técnica seja traduzida; 
  • Tenha uma persona bem definida e gire toda sua estratégia digital em torno dela; 
  • Fique atento às estratégias de SEO para melhorar seu ranqueamento no Google;
  • Utilize o e-mail marketing como estratégia de relacionamento. Você pode enviar notícias atualizadas, informações de eventos e demais temas relevantes para o público; 
  • Use o Linkedin como aliado na estratégia de marketing jurídico. É interessante envolver os advogados do escritório nessa estratégia, pois colocando-os como referência, sua marca ganha maior autoridade e relevância no setor; 
  • Participe de canais jurídicos especializados na internet, como a Jusbrasil, por exemplo;
  • Invista em mídia online paga (Google Ads, Facebook Ads etc) para aumentar o alcance de suas publicações.